Memória x hemodinâmica

A resposta hemodinâmica na avaliação Neuropsicológica é realizada com o Exame de investigação do Sistema Nervoso Autônomo.


Compreendo por resposta hemodinâmica, nesta avaliação, a fluidez do sangue, o transporte de nutrientes e o quanto o cérebro desse paciente está sendo impactado por esse funcionamento sanguíneo. O movimento é captado através de sensores, por respostas automáticas.


Nesta investigação, conseguimos identificar se existe alteração na viscosidade ou no turbilhamento sanguíneo, se há características de resistência vascular, se há resposta inflamatória ou dificuldade no transporte de nutrientes etc.


Evening, o que isso tem a ver com Neuropsicologia? TUDO!


Se eu compreendo que o meu paciente é um todo e me proponho a ajudá-lo, preciso ter o alcance de que quando ele se apresenta para mim com queixas do tipo:


- brancos na mente e memória ruim;

- concentração diminuída;

- baixa libido;

- unhas fracas;

- cabelo caindo...


Imediatamente compreendo que tem um organismo sofrendo. Os problemas cognitivos de atenção e memória são a pontinha do iceberg e se eu não atentar para cuidar do ser humano como um todo, claro com os devidos e necessários encaminhamentos, seria uma profissional limitada a trabalhar uma reabilitação “meia-boca” pra um problema de memória que só vai se agravar, porque estaria tratando a pontinha do problema (a queixa atual) e não a raiz (o que está desencadeando essa dificuldade). Se a memória está falhando é porque há falhas nas sinapses e os neurônios não estão conseguindo transmitir uma informação completa para o outro neurônio e se isso está acontecendo é porque há falta de nutrientes para que os neurotransmissores disparem. Se esse nutriente não está chegando no cérebro, temos duas possibilidades: ou a nutrição do meu paciente é inadequada ou o transporte de nutrientes - que é o sangue - está prejudicado de alguma forma.


E quando eu coloco os sensores, o sistema nervoso autonômico do meu paciente me diz o que ele não consegue verbalizar. O que ele me diz é o que ele conhece: "Eu não consigo lembrar de nada! Esqueço tudo o que faço! Estou o tempo inteiro disperso!".


A memória está mesmo comprometida, a atenção está sofrendo. As funções cognitivas estão sobrecarregadas. Mas, vocês compreendem que todo o organismo desse paciente está em sofrimento?

Somos um todo formado de pequenas partes. A investigação de uma parte está ligada ao entendimento do funcionamento global.


1 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo