top of page

Você sabe como o cérebro reage ao amor?

Há 1500 anos, foi dito por Hipócrates (460-377 a.C.) uma frase que continua fazendo muito sentido em nossos dias:


“Os homens devem saber que do cérebro, e só do cérebro, derivam prazer, alegria, riso e divertimento, assim como tristeza, pena, dor e medo”.


A reflexão feita pelo filósofo, corrobora os estudos da neurociências de que há complexas reações químicas produzidas em nosso cérebro quando somos tomados pelo amor.


Diante desse sentimento, a adrenalina é liberada em nosso organismo e experimentarmos coração acelerado e excitação; a dopamina trabalha rapidamente na produção do sentimento de felicidade e a noradrenalina nos impacta com o desejo sexual.


Esta explosão de hormônios e neurotransmissores disparados em nosso cérebro e em toda nossa corrente sanguínea nos causa as melhores sensações de bem-estar, por estar ao lado de quem elegemos como nosso figura de amor, ou realizando atividades que amamos.


Nosso cérebro foi programado para amar e ser amado! Não esqueçamos disto!


2 visualizações0 comentário
bottom of page